Poder profético é tema da Ceia de Oficias de setembro

Atualizado: Set 14

Durante a Ceia de Oficiais de setembro, realiza na Renascer Arena, que recebeu 40% de sua capacidade de público, o Apóstolo Estevam Hernandes falou sobre o poder profético.

Acompanhe, a seguir, o resumo da palavra ministrada:

Isaías 20.1 a 6: “No ano em que Tartã, enviado por Sargão, rei da Assíria, veio a Asdode, e a guerreou, e a tomou, nesse mesmo tempo, falou o Senhor por intermédio de Isaías, filho de Amoz, dizendo: Vai, solta de teus lombos o pano grosseiro de profeta e tira dos pés o calçado. Assim ele o fez, indo despido e descalço. Então, disse o Senhor:


Assim como Isaías, meu servo, andou três anos despido e descalço, por sinal e prodígio contra o Egito e contra a Etiópia, assim o rei da Assíria levará os presos do Egito e os exilados da Etiópia, tanto moços como velhos, despidos e descalços e com as nádegas descobertas, para vergonha do Egito.


Então, se assombrarão os israelitas e se envergonharão por causa dos etíopes, sua esperança, e dos egípcios, sua glória. Os moradores desta região dirão naquele dia: Vede, foi isto que aconteceu àqueles em quem esperávamos e a quem fugimos por socorro, para livrar-nos do rei da Assíria! Como, pois, escaparemos nós?”


Deus chamou profetas, ou seja, homens ungidos, para serem os porta-vozes d’Ele aqui na Terra.

O chamado de Isaías foi muito específico: profetizar a vinda do Messias e anunciar o juízo sobre Israel.

Além do ministério profético, há um poder profético. E este poder não é derramado especificamente sobre uma pessoa, mas sobre a Igreja, e precisamos exercê-lo. A origem dele está na Palavra, que traz à existência o que não existe.

Para expressar e transmitir o que Deus tem preparado para os homens e para que o Corpo de Cristo continue avançando de forma saudável, esse poder profético precisa ser liberado.

E esse poder profético:

1. NOS LIVRA DA CORRUPÇÃO

Provérbios 29.18: “Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz.”

O poder profético livra o povo da corrupção espiritual e da corrupção moral.

Hoje, a falta desse poder tem desmantelado estruturas e abortado o plano de Deus na vida de muitas pessoas.


Precisamos ter consciência de que a profecia consola, edifica, mas também exorta, e isso é fundamental para o desenvolvimento da nossa vida espiritual.

2. DENUNCIA O PECADO

2 Samuel 12.9 e 10: “Por que, pois, desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o que era mau perante ele? A Urias, o heteu, feriste à espada; e a sua mulher tomaste por mulher, depois de o matar com a espada dos filhos de Amom. Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher.”

Romanos 6.23: “...porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”


Todos nós sabemos que Davi pecou. Mas o processo de libertação dele só começou quando aqueles atos foram revelados e denunciados por um profeta

O poder profético não é para a destruição ou condenação, mas para a cura e libertação!


3. ANUNCIA O AGIR DE DEUS

Atos 21.10 e 11: “Demorando-nos ali alguns dias, desceu da Judeia um profeta chamado Ágabo e, vindo ter conosco, tomando o cinto de Paulo, ligando com ele os próprios pés e mãos, declarou: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus, em Jerusalém, farão ao dono deste cinto e o entregarão nas mãos dos gentios.”


Esse poder profético determina o agir de Deus por meio de manifestações físicas, para que não haja brechas para nenhum espirito de confusão.

Isaías foi levantado com esse poder profético que está em nossas vidas através do Espirito Santo.


Isaías 61.1 a 3: “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória.”


Esse é nosso papel profético: anunciar o ano aceitável do Senhor!


Deus ordena a Isaías que fizesse um ato profético de proporções nunca imaginadas. Assim, as janelas dos céus foram abertas e estruturas espirituais foram abaladas.

Este é o tempo de um poderoso avivamento profético que antecede a volta de Cristo! Viveremos, na essência, o que Deus determinou por intermédio de Isaías.


A Igreja é a voz de Deus na Terra!

Por isso, precisamos:


1. NOS DESPIR DO ESTEREÓTIPO PARA MERGULHARMOS NA ESSÊNCIA


Isaías 20.2: “... nesse mesmo tempo, falou o Senhor por intermédio de Isaías, filho de Amoz, dizendo: Vai, solta de teus lombos o pano grosseiro de profeta e tira dos pés o calçado. Assim ele o fez, indo despido e descalço.”


Por três anos, Isaías ficaria despido de sua caracterização de profeta. Andaria descalço e coberto apenas pela roupa debaixo. Esse era o sinal de que a aliança com os egípcios e etíopes tiraria do povo de Israel a sua dignidade.

Deus quer que nos dispamos de todo estereotipo religioso, para que voltemos à essência.


Os que fazem a aliança com a aparência e com os interesses humanos são tomados por uma malignidade que os deixará em uma condição de humilhação. Por quê? A arrogância precede à queda.

A Igreja verdadeira se despiu das capas da religiosidade para ser revestida da glória de Deus! Por quê? Cristo abriu mão de Sua glória para ser humilhado na cruz, no nosso lugar!


Filipenses 2.7: “...antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana...”


Esse é o caminho de Deus para que sejamos alcançados por um grande mover que abre as portas espirituais.


Literalmente, como Isaías, o Senhor Jesus foi despido na cruz, mas aquela era a porta para a glória que viria!

Filipenses 2.9 a 11: “Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.”

2. TOMAR POSSE DO PODER PROFÉTICO QUE NOS CONECTA COM O AVIVAMENTO

Joel 2.28: “E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões...”

Quando a Igreja está vestida de sua glória organizacional, Ela não pode receber o cumprimento da profecia que vem pela essência e, muito menos, o derramar do Espírito Santo na plenitude.

Mas, hoje, pelo poder profético, a Igreja será invadida pelo Espírito Santo e transbordará de unção!

3. TER CONSCIÊNCIA DE QUE, DESPIDOS DA RELIGIOSIDADE, O PODER PROFÉTICO SE MANIFESTA SEM LIMITES


1 Samuel 19.23 e 24: “Então, foi para a casa dos profetas, em ramá; e o mesmo espírito de deus veio sobre ele, que, caminhando, profetizava até chegar à casa dos profetas, em ramá. Também ele despiu a sua túnica, e profetizou diante de samuel, e, sem ela, esteve deitado em terra todo aquele dia e toda aquela noite; pelo que se diz: está também saul entre os profetas?”


O poder profético é recebido por herança e transmissão, como ocorreu com Elias e Eliseu.


Por meio de Isaías, o Messias foi anunciado. Por meio de Cristo, recebemos uma sucessão profética!

Somos a voz profética para esta geração!

Aleluia!


Redação

111 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Central de Endereços

Para saber qual a igreja mais próxima clique aqui!

Assessoria de Imprensa

imprensa@renascer.org.br

© 2020 | Produzido por agência VB Creations  | Todos os direitos reservados.