Poder do amor é tema da ministração da Ceia de julho

Atualizado: Jul 9


Em 1ª Coríntios 13.1-13, o apóstolo Paulo nos fala de uma arma espiritual poderosa que muitas vezes não é usada pela igreja: o poder do amor. Este foi o tema da ministração do apóstolo Estevam Hernandes durante a ceia de oficiais do mês de julho. “Precisamos de uma revelação espiritual sobre o amor para poder ter acesso a esse sentimento que está acima dos sentimentos humanos, o verdadeiro amor é um sentimento espiritual”, afirmou o apóstolo.


Veja a seguir os principais trechos da ministração:


Por acaso amor está acima dos dons espirituais? Praticamos o verdadeiro amor espiritual? Será que vivemos o verdadeiro amor?


A resposta é não. Quando vemos alguém que tem dons especiais de cura ou outras virtudes, nós nos encantamos, não é mesmo? Nos encantamos, mas nunca sabemos valorizar e honrar ao dom do amor. E é deste dom que João nos fala em 1ª João 4.7: “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.”


Somente quem teve realmente um novo nascimento pode amar com o amor espiritual. É impossível uma pessoa ter uma ligação verdadeira com Deus se não tiver amor em seu coração.


“E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus e Deus nele.” (1ª João 4.16)

Deus permanece em quem tem amor. Vivemos em um mundo que o inimigo roubou esse sentimento. O diabo quer matar no povo de Deus a capacidade de amar para nos tornar odiosos, hipócritas e religiosos. A religiosidade não consegue amar, porém Jesus determinou esse amor como aquilo que encerra a lei. Na graça o mandamento que prevalece é o amor.


Estamos vivendo num mundo de loucuras, em que todos querem julgar, mas não querem amar. Isso é um grande erro espiritual: Deus não faz acepção de pessoas. Amor é de Deus! Se Deus fosse nos julgar pelos nossos erros, não estaríamos vivos. A misericórdia tem que estar na igreja de Cristo.


Os fariseus provocaram Jesus em relação a isso, como está em Marcos 12.28-32.


Estamos vivendo uma crise de relacionamentos interpessoais e com Deus. Mas temos que fazer morrer nossa natureza terrena. Os desejos carnais só atendem os interesses pessoais e isso vem gerando essa crise no mundo, que não pode estar na Igreja. Temos que buscar essa revelação do que é esse verdadeiro amor espiritual.

O que precisamos aprender:

1) Não podemos nos contaminar com o sentimento de Satanás, o ódio (1 João 2. 9-11 e 1 João 2.9-11 e Provérbios 26.24-26).


No ódio está a marca de Satanás, quem odeia está nas trevas interiores porque esse sentimento é espiritual e cega para as coisas da luz. O diabo coloca esse sentimento porque foi assim, por exemplo, que ele destruiu a relação entre Caim e Abel. Satanás marca as pessoas com ódio! Quem odeia seu irmão não pode dizer que ama a Deus! Deste sentimento de ódio avêm as guerras e destruição. Quem odeia está nas trevas e não sabe para onde vai. Guarde seu coração! Não permita que Satanás manipule seus sentimentos e coloque ódio na sua vida.


Em nós só pode habitar um sentimento espiritual, ou habita amor ou habita ódio. Muitas pessoas não conseguem evoluir porque não sabem amar.

2) Não podemos deixar o amor esfriar e roubar nossa relação com Deus (Mateus 24.10-14).


Nos últimos tempos, uma forma de Satanás impedir o desenvolvimento da vida espiritual e da salvação eterna, é esfriando o amor, tornando as relações odiosas e superficiais, porque quando não temos amor para com o próximo não podemos amar a Deus. Quando nós não temos amor ao próximo, não podemos amar a Deus (1 João 4.20-21). Aquele que ama a Deus tem que amar seu irmão. Você não vai acolher esse sentimento de ódio em nome de Jesus!


3) Temos que vencer a hipocrisia da religiosidade que não consegue amar (2ª Timóteo 4.10). Na Igreja apostólica não pode haver religiosidade e hipocrisia, não podemos ter tribunal na igreja. Temos que ter amor verdadeiro!


Esse Demas que está em 2 Timóteo 4.10, representa a hipocrisia religiosa. Ao invés de permanecer ao lado do grande apóstolo Paulo, ele o abandona porque não tinha amor em seu coração. Ele era apenas um homem que assumia um personagem, porque o verdadeiro amor depura os sentimentos. O amor verdadeiro jamais acaba. Hoje a grande arma da igreja para viver uma grande revolução é o amor! Quanto mais nos aproximarmos do fim, mas vai ficar definido quem ama e quem não ama.


No Apocalipse, vemos que o anticristo vai instituir um falso tempo de paz (Daniel 9.27). Mas a verdade é que o ódio que virá a seguir.


Temos que viver o poder do amor como um verdadeiro dom espiritual porque essa é uma arma que Satanás não pode usar, porque ele simplesmente não a conhece. A igreja tem que ser conhecida pelo amor, nós precisamos ser conhecidos por esse amor!


“Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” (João 13.34-35)


Temos que colocar em prática esse amor por meio do Espírito Santo. Como faremos isso?


1) Amando a vida dos perdidos (João 3.16)


“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”


Nosso ativismo e mesmo nossa correria e interesses pessoais têm nos roubado do “ide, verdadeiro”, a motivação principal de ganhar vidas.


Provérbios 11:30: “O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.”

Nosso lema é “uma vida vale mais que o mundo todo.” Ou levamos por amor as pessoas ao céu ou pelo ódio de Satanás elas irão para ao inferno.

2) Nos tornando padrão de amor ao próximo e a Deus (1 Coríntios 13.4-8).


Estamos bem distantes dessa verdade em nossos relacionamentos! Não temos tolerância nem paciência na nossa vida espiritual. Quanto mais próximos estivermos de Deus, mais vamos manifestar essas características. Chamamos a presença de Cristo em nossas vidas pelo poder do amor, quem tem amor tem o fruto do Espírito Santo.


Gálatas 5.22: “Mas o fruto do espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23. Mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.


Deseje se tornar um padrão de amor ao próximo.


3) Ser cheio do Espírito Santo que é amor de Deus (Colossenses 3:12 a 14).


Buscamos sempre os dons, mas Paulo nos ensina a buscar a excelência dos dons (1 Coríntios 12.31). O amor é a base fundamentar dos dons, porque sem ele os dons são apenas como um sino que bate sem propósito. De todos os dons, o maior é o amor.


Este é um alerta do Espírito Santo!


Deus quer que você seja um testemunho de amor!”


Precisamos de uma Igreja de amor, de tolerância e não de ódio!


Deixe que o Espírito Santo manifeste o poder do amor na sua vida!”


Redação

182 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

"As situações não podem mais definir o seu futuro!"

Em 10 de julho, aconteceu o Encontro Mensal de Mulheres Mais que Vencedoras (+QV), o ministério feminino da Igreja Renascer em Cristo. O tema foi “Autorresponsabilidade” Com transmissão ao vivo do Ren

Apóstolo Estevam ministra a oferta da semeadura

Durante a Ceia de Oficiais de julho, o apóstolo Estevam Hernandes ministrou a oferta da semeadura, baseada no texto que está em 2º Coríntios 9.5-14. “O apóstolo Paulo nos fala sobre a necessidade de d

Eu Renasci: Por que o batismo é tão importante?

Romanos 10.9: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” Marcos 16.16: “Quem crer e for batizado será salvo, po