top of page

Cuidado! Isso pode aumentar sua ansiedade

Atualizado: 18 de nov. de 2022

Por Bispa Fê

Você acorda e a primeira coisa que faz é checar suas redes sociais?


Você tem o costume de fazer isso várias vezes durante o dia e de forma automática? Chega a até deixar outras atividades de lado para fazer isso?


A sua exposição em fotos, stories e outras ferramentas digitais deixaram de ser uma distração para se tornar uma necessidade diária?


Você tem o costume de buscar a felicidade que está na sua timeline e deixa de enxergar as alegrias que tem na sua vida real?


Se você se identificou com esses comportamentos, acenda o “alerta vermelho”. São sinais de que a sua presença nas redes sociais está excessiva e isso, junto a outros fatores, pode acarretar em quadros de depressão e de ansiedade.


Atualmente, mais de 4,2 bilhões de pessoas utilizam redes sociais, o que representa 53,6% da população mundial.


O Brasil é o 3º país que mais as utiliza, com uma média de 3 horas e 42 minutos por dia, de acordo com estudo que reuniu dados da Hootsuite e WeAreSocial.


Psicólogos alertam que 20% dos brasileiros não conseguem passar mais de 30 minutos longe de seus dispositivos.


Mas, afinal, por que as redes sociais prendem tanto a nossa atenção?


De acordo com a Neurociências, as redes sociais são grandes fontes de dopamina, que é um neurotransmissor responsável pelo nosso humor, não só porque a conexão com as pessoas e os conteúdos que consumimos são divertidos. Na verdade, elas foram projetadas para que cada usuário fique imerso por horas naquela “realidade”. Como? Usando o gatilho da curiosidade.


Outro fator que nos atrai e nos intriga são os algoritmos disfarçados de “previsibilidade”.


Todo mundo já considerou estranha a “coincidência” de ver nas redes sociais exatamente o tema que estava conversando com os amigos. Tem até a situação mais curiosa ainda de quando elas praticamente “adivinham” o que estamos cogitando comprar e nos dão uma série de opções.


Mas já parou para pensar como esse conteúdo chega até nós?


O documentário da Netflix O Dilema das Redes mostra que o acaso não existe e as plataformas das Big Techs têm sido usadas para prever o comportamento humano e estimular o uso excessivo, com o objetivo de obter lucro! Sim, o seu tempo nas redes sociais vale dinheiro!


Mas, afinal, todas as redes sociais causam este mesmo efeito?


Um estudo feito pela instituição de saúde pública do Reino Unido, Royal Society for Public Health, em parceria com o Movimento de Saúde Jovem, apontou que, entre as redes sociais que provocam efeito positivo, se destaca o YouTube, porque tem canais de informação construtiva, páginas com senso de comunidade, de pertencimento e motivação. Além disso, há uma série de conteúdos educativos e informativos.


O Instagram e o Snapchat, nessa ordem, foram os canais com maior impacto negativo na saúde emocional dos jovens avaliados, principalmente por serem redes sociais focadas em imagens e por gerarem basicamente visualização de fragmentos do que há de melhor na vida do outro.


De acordo com a diretora-executiva da Royal Society for Public Health, algumas mídias sociais são consideradas mais viciantes do que o cigarro e o álcool.


E de que maneira as redes sociais podem alimentar a ansiedade e trazer angústia?


- Pelo excesso de informações, que dão a sensação de que sempre estamos desinformados;


- Por causa das inevitáveis comparações. Parece que a vida dos outros é sempre melhor e mais interessante;


- Pelo fato de não sabermos lidar com a rejeição, principalmente quando alguma foto tem poucas curtidas, se perdemos seguidores ou recebemos alguma crítica.


Mas, afinal, qual é o tempo ideal para passarmos por dia nas redes sociais?


Um estudo publicado pelo Journal of Social and Clinical Psychology concluiu que utilizar as redes sociais por até 30 minutos por dia é o ideal.


E como, depois de saber de tudo isso, eu posso usar as redes sociais de maneira equilibrada?


Anote nossas dicas:


- Quando estiver em um compromisso pessoal ou profissional deixe o celular guardado;


- Procure seguir pessoas que tenham conteúdos inspiradores e informativos;


- Estabeleça horários para acessar as redes sociais durante o dia;


- Desative todas as notificações do seu celular (principalmente no horário de trabalho);


- Mantenha o smartphone longe de você na hora de dormir;


- Não comece o dia checando as redes sociais. Faça isso depois do café ou na hora do almoço);


- Busque sempre momentos de lazer e diversão na vida real;


- Coloque despertadores para te alertar;


- Se isso for um grande desafio para você, transforme isso em jejum.


Posts recentes

Ver tudo

Por que jejuar e orar é tão importante?

Lucas 5.34 e 34: "Jesus, porém, lhes disse: Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto está com eles o noivo? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo; naqueles dias, sim

O novo nascimento através das águas do batismo

Romanos 10.9: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” Marcos 16.16: “Quem crer e for batizado será salvo, po

A história de Mordecai e seus ensinamentos

Mordecai é um personagem importante no Livro de Ester, no Antigo Testamento da Bíblia. Ele era um judeu exilado em Susã, capital do Império Persa, e era primo e tutor de Ester, uma jovem judia que se

Kommentare


bottom of page