Como destruir crenças limitantes e avançar?


2 Coríntios 10.4 e 5: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo...”


Esses dois versículos são o suficiente para você mudar radicalmente suas percepções e perspectivas.


Nesta passagem, o apóstolo Paulo nos alerta sobre ações que são fruto de crenças limitantes:


Fortalezas: barreiras emocionais intransponíveis.


Sofismas: mentiras propositalmente maquiadas por argumentos verdadeiros, para que possam parecer reais.


Altivez: arrogância, intolerância e soberba.


Quando não temos discernimento, acabamos incorporando as informações manipuladas que recebemos e transformando-as em sentimentos tóxicos.


Muitas vezes, sem perceber, deixamos estes sentimentos determinarem nossos comportamentos e, consequentemente, nossa identidade! Assim, tornamo-nos escravos. Mas, hoje, o Senhor quer te libertar de todo o cativeiro emocional, espiritual e mental, para que você possa avançar e ser bem-sucedido em todos os seus caminhos.


Para vivermos o plano que Deus tem para nossas vidas, precisamos quebrar todas as crenças limitantes e fundamentar nossas vidas em crenças libertadoras.


Gálatas 5.1: “Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.”


O que são crenças limites? Crenças são convicções, ou seja, é tudo o que assumimos como verdade! É o que determina quantas milhas iremos percorrer... É o que, muitas vezes, também nos leva à autossabotagem!


Partindo deste principio, as crenças limitantes nos levam ao negativismo, anulando motivações, possibilidades e capacidades.  Em vez de avançar, elas te levam à paralisação e, consequentemente, ao retrocesso, porque tudo está em constante movimento...


Como Paulo nos ensina, os sofismas e as manipulações criam fortalezas mentais, despertando em nós sentimentos destrutivos.  


Mas, afinal, como vencer essas crenças limitantes?

1- Discernindo e driblando as influências externas que podem te tirar do foco


Mateus 16.21 a 23: Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia. E Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá. Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens.”


Pedro queria influenciar Jesus com um discurso de preservação. As intenções dele eram boas. Mas Jesus deixou claro que nada podia tirá-lo da missão que Deus havia designado para Ele!


Muitas vezes, para não sermos influenciados pelos ambientes e pelas pessoas, precisamos ser radicais, assim como Jesus foi com Pedro.


Muitas vezes, sem perceber, acabamos assumindo características de pessoas que convivem conosco.


Em vez de influenciável, seja influenciador! Não permita que as notícias ruins, a crise econômica e as ameaças afetem sua produtividade.