Suas dores estão escrevendo uma história de sonhos!

Atualizado: Ago 31

IDENTIDADE foi o tema da reunião do projeto +QV (Mais que Vencedoras), realizada em 8 de maio no Renascer Hall, com transmissão ao vivo para todas as sedes estaduais da Igreja Renascer em Cristo e pela Rede Gospel de Televisão e via YouTube.

O encontro foi marcado por momentos de louvor, orações, testemunhos impactantes e uma mensagem de reflexão da Bispa Sonia Hernandes.

Acompanhe, a seguir, o resumo:

Gênesis 12.1 a 9: “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei;de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.

Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o Senhor, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã. Levou Abrão consigo a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as pessoas que lhes acresceram em Harã. Partiram para a terra de Canaã; e lá chegaram.

Atravessou Abrão a terra até Siquém, até ao carvalho de Moré. Nesse tempo os cananeus habitavam essa terra. Apareceu o Senhor a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao Senhor, que lhe aparecera.

Passando dali para o monte ao oriente de Betel, armou a sua tenda, ficando Betel ao ocidente e Ai ao oriente; ali edificou um altar ao Senhor e invocou o nome do Senhor. Depois, seguiu Abrão dali, indo sempre para o Neguebe.”

Deus tinha um projeto de vida para Abrão – que significa “grande pai” –, mas para vivê-lo, era necessário que ele assumisse a identidade que o Senhor tinha para ele. Ou seja, tornar-se quem ele de fato nasceu para ser: Abraão, que significa “pai de nações”.

Precisamos ter consciência de que identidade é diferente de status. Identidade é quem somos, e status é como estamos!

O grande problema é que muitas vezes confundimos dois e nos definimos da maneira errada. Por exemplo, estar doente não significa que você é aquela doença ou que você é doente.

Há vários tipos de identidade. Por exemplo, há aquela que nossos pais colocam em nós, ou seja, a maneira como eles nos definem, o que eles pensam ao nosso respeito...

Por mais que amemos nossos filhos, muitas vezes, projetamos neles os nossos medos e frustrações. Em vez de impulsioná-los, acabamos inibindo-os, pois criamos neles uma série de bloqueios, principalmente quando falamos coisas do tipo: “Isso não é para você!”; “Você não pode!”; “Você não gosta disso!” ou “Isso não te levará para lugar nenhum!”.

Mas, afinal, quem nós somos de verdade?

Sabem quem é o mais indicado para responder essa pergunta? Aquele que nos criou: Deus!

E o que Ele diz sobre nós?

- Que fomos criadas à imagem e semelhança d´Ele;

- Que somos filhas d´Ele;

- Que temos poder e autoridade para dominar situações e sentimentos;

- Que fomos chamadas para a liberdade;

- Que Ele tem um propósito para a nossa existência;

- Que, n´Ele, podemos todas as coisas.

Agora, a sua parte é crer! Lembre-se de que somos o que acreditamos... Precisamos mudar a maneira como nos enxergamos!

Como você se enxerga terminando o Ano de Paulo? Completando a carreira e guardando a fé? Então, é isso o que você viverá!

Para vivermos a história que Deus escreveu para nós, assim como Abraão, precisamos deixar a nossa “tenda”. O que isso significa? Deixar para trás as características e os hábitos que não condizem com a sua verdadeira identidade.

Ou seja, precisamos abandonar determinados discurso, como por exemplo: “Eu sou egoísta, porque todo mundo na minha casa é assim” ou “Eu não estudei, porque ninguém na minha casa estudou.”

Em outras palavras, precisamos nos identificar com o nosso Criador!

E quando recebemos esta identidade? Quando renascemos em Cristo.

Abrão precisava de um novo começo, mas Deus o tirou de sua zona de conforto para levá-lo ao deserto. Mas por quê?

Aprende uma coisa: problema sempre traz recompensa!

Cada luta que Deus permite que enfrentemos é para acrescentar algo precioso em nós!

Abrão precisava amadurecer, desenvolver novas habilidades e expandir. Para assim, de fato, se tornar Abraão.

Ele precisava entender que bênção não estava nos ambientes, mas nele! Quem faz os nossos caminhos prosperarem somos nós!

Se fomos criadas à imagem e semelhança de Deus, então, nascemos com a capacidade de criar e dar ordem ao caos – como Ele fez.

Quando Deus criou o universo, que era sem forma e vazio, qual foi a primeira coisa que Ele disse? “Haja luz!”.

Você está neste lugar para levar luz, para ser a solução!

Tem uma grande luta te esperando? Em vez de se lamentar, mova-se! Abandone a tenda dos seus medos... Há muito ainda para ser conquistado! Mas, para isso, precisamos respeitar os ciclos.

Abrão passou por um processo de transformação... Esse processo também envolveu perdas, mas que foram necessárias!

Por exemplo, em um determinado momento daquela jornada, Ló, o sobrinho de Abraão, quis se separar dele... Encontrou um plano B e o escolheu...

Em outro momento, Abraão precisou vencer seus medos...

Chegando ao Egito, por medo de o rei matá-lo para ficar com Sara, já que ela era muito bonita, mentiu, dizendo que ela era irmã dele. Isso quase a colocou em risco.

Sabemos que os medos são os maiores ladrões de sonhos oportunidades.

Mas a questão é: como vencê-los?

- Identificando a origem deles, em vez de mascará-los ou buscar solução nos outros.

É por isso que é essencial passarmos por um processo de cura interior.

- Precisamos também dar um novo significado para as situações terríveis que enfrentamos: não são traumas, mas testemunhos que vão glorificar o nome de Deus na terra!

Abraão, de fato, venceu o medo de perder, tanto que, se necessário, estava disposto a sacrificar Isaque, seu único filho.

Lembre-se de que tudo coopera para o bem...

Abraão, antes de ter Isaque, precisou vencer o desgaste que a espera produz...

Talvez, hoje, você tenha trabalhado muito e não colhido nada...

Parece que você está cavando a sua sepultura, mas, na verdade, você está abrindo espaço para uma grande edificação.

Nenhum prédio é construído pela cobertura, mas pelo subsolo... E quanto mais profundo, mais resistente será sua estrutura!

Talvez, ao ler isso, você pense: “É muito fácil falar isso. Mas só Deus sabe o que eu já sofri!”.

Na Bíblia, há muitos exemplos de pessoas que sofreram diversos traumas, mas que o superaram! Se eles conseguiram, é sinal de que você pode também.

Um deles foi José!

Deus tinha um grande projeto para a vida dele, e o revelou por meio de dois sonhos.

Em ambos, José ocupava uma posição de destaque, e todos da família se curvavam diante dele. Mas a primeira parada dele foi o palácio? Não... O fundo poço... Os irmãos o agrediram e o jogaram lá. Depois, o venderam como escravo.

E como explicar o sumiço de José? Os irmãos dele arrancaram a capa que havia recebido do pai e a banharam com o sangue de um animal. Para todos, José estava morto!

Em seguida, José foi vendido para Potifar – um grande general do exército egípcio – e passou a trabalhar na casa dele.

Mas José era tão dedicado, que ocupou um cargo de confiança, tornou-se administrador de todos os bens de Potifar. Mas Deus tinha muito mais para ele...

Ali, na casa de Potifar, ele se deparou com uma grande tentação. A esposa daquele general o assediava constantemente, mas José não cedeu... Ele não perdia o foco por causa das distrações... Na jornada de José, não havia desvios!

Aquela mulher, obviamente, não aceitou ser rejeitada e manipulou uma situação para parecer que José havia tentado abusar dela.

O resto você já pode imaginar... José foi preso!

Na prisão, José revelou o sonho de dois rapazes – o copeiro-chefe e o padeiro-chefe.

Os sonhos de ambos se cumpriram: o padeiro-chefe morreu e o copeiro-chefe foi restituído de seu cargo.

José, então, pediu para que um deles intercedesse por ele diante do Faraó. Mas sabe quando tempo levaram para se lembrarem de José? Dois anos!

Já era para ele ter desistido de tudo, inclusive da vida, não é mesmo? Mas José era inabalável... E quando surgiu uma oportunidade de ele revelar os sonhos de Faraó, ele a agarrou com todas as suas forças.

José não só revelou que viriam sete anos de abundância e, depois, sete anos de escassez, mas deu conselhos administrativos para o Faraó e, assim, tornou-se governador do Egito:

Gênesis 41.32 a 39: “O sonho de Faraó foi dúplice, porque a coisa é estabelecida por Deus, e Deus se apressa a fazê-la. Agora, pois, escolha Faraó um homem ajuizado e sábio e o ponha sobre a terra do Egito. Faça isso Faraó, e ponha administradores sobre a terra, e tome a quinta parte dos frutos da terra do Egito nos sete anos de fartura.

Ajuntem os administradores toda a colheita dos bons anos que virão, recolham cereal debaixo do poder de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem. Assim, o mantimento será para abastecer a terra nos sete anos da fome que haverá no Egito; para que a terra não pereça de fome. O conselho foi agradável a Faraó e a todos os seus oficiais. Disse Faraó aos seus oficiais: Acharíamos, porventura, homem como este, em quem há o Espírito de Deus? Depois, disse Faraó a José: Visto que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão ajuizado e sábio como tu.”

Pois, é... Os sonhos se cumpriram: os irmãos de José se curvaram diante dele, e não só isso: se arrependeram de todo mal que lhe fizeram!

José, como sempre fez em sua jornada, escolheu vencer o mal com o bem, os perdoou e foi uma fonte de suprimento para a família dele.

Gênesis 45.8 a 11: “Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus, que me pôs por pai de Faraó, e senhor de toda a sua casa, e como governador em toda a terra do Egito. Apressai-vos, subi a meu pai e dizei-lhe: Assim manda dizer teu filho José: Deus me pôs por senhor em toda terra do Egito; desce a mim, não te demores. Habitarás na terra de Gósen e estarás perto de mim, tu, teus filhos, os filhos de teus filhos, os teus rebanhos, o teu gado e tudo quanto tens. Aí te sustentarei, porque ainda haverá cinco anos de fome; para que não te empobreças, tu e tua casa e tudo o que tens.”